Impacto da Tecnologia Blockchain nas Relações Empresariais

O “blockchain” surge como uma tecnologia a qual permite que a identidade digital de cada empresa ou cidadão possa conectar-se criptograficamente a propriedades de bens, contratos, certificados, licenças etc., promovendo transações de maneira segura.

O Blockchain é como um sistema de base de dados, mantido de modo descentralizado, em que todos são responsáveis por armazenar ou manter informações contidas. Dentre as suas principais características destacam-se: (I) aplicações em criptomoedas, como Bitcoin; (II) contratos em geral, com foco nos contratos relacionados a ações, empréstimos, hipotecas e smart contratos; (III) aplicações na área governamental, saúde, cultura, literatura e artes.

Nos últimos dois anos, o Blockchain ganhou notoriedade em aplicações financeiras, entretanto, o dinamismo empresarial, que possui maior inteligência estratégia nos dias de hoje, combinam um alto nível de inovação tecnológica com um modelo de negócios que os ajudará a tirar o máximo proveito disso.

Uma característica do Blockchain tem chamado a atenção da maioria das empresas, além das transações financeiras, é o uso dos smart contracts ou “contratos inteligentes”.

Um exemplo utilizado pelas empresas é a comunicação e troca de documentos e contratos entre uma empresa e suas filiais ou franquias, que aconteceria de maneira confiável e segura, contando com estes e os outros demais benefícios que a tecnologia traz.

As empresas tradicionais, que possuem alguma dificuldade em aceitar inovações, precisam se conscientizar da importância que o blockchain, suas inúmeras vantagens, com um alto nível de segurança e menor preço.

Além da tecnologia reduzir a possibilidade de erro na hora de fazer uma auditoria e permitir o gerenciamento mais fácil dos critérios de segurança, uma vez que é criptografada, um número crescente de empresas convencionais aceita o bitcoin como pagamento.

Mudar o modelo de negócio nunca é fácil. Entretanto, os impactos desta tecnologia podem ser sentidos em diversos setores, como: alimentos, registros governamentais, varejo, saúde, seguros e educação.

Bancos e corporações já iniciaram os estudos em relação a tecnologia, sendo que os fóruns internacionais estão debatendo a sua utilização em massa.

As mudanças nas relações empresariais já estão ocorrendo, devendo as empresas adaptar-se à nova realidade, buscando tecnologia e cuidados jurídicos para enfrentar de maneira correta.

Gravina Advogados – Gabriel D. Debarba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *